Poetamenos – novos padrões de performance oral

Escrita entre 1952 e 1953, a série de seis poemas Poetamenos (poetamenos, paraíso pudendo, lygia fingers, nossos dias com cimento, eis os amantes e dias dias dias) foi publicada em 1955, na segunda edição da revista Noigandres. Antes da publicação na Noigandres 2, os poemas foram impressos artesanalmente, em pequena tiragem, em carbonos coloridos.

poetamenos

Em 1954, Augusto de Campos chegou a inscrever a série no Concurso da Biblioteca Mário de Andrade, sem êxito. No mesmo ano, Décio Pignatari, em parceria com Damiano Cozzella e outros músicos, promoveram a leitura de alguns dos poemas no V Curso Internacional de Férias, em Teresópolis. Em 1955, no Teatro Arena em São Paulo, em gravação analógica integrada a projeção de diapositivos, o grupo Ars Nova interpretou os poemas lygia fingers, eis os amantes e nossos dias com cimento, sob a regência do maestro Diogo Pacheco e supervisão de Augusto de Campos, acompanhados pela música de Webern. O evento, estreado no dia 21 de novembro de 1955, foi noticiado no jornal O Estado de São Paulo com o título Música e Poesia Concretas. Como informa Augusto, “em sincronização com a terminologia adotada pelas artes visuais e, até certo ponto, pela música de vanguarda, diria eu que há uma poesia concreta” (CAMPOS, 2015, p. 87).

Poetamenos, além dos protocolos experimentais de construção e apresentação visuais, também inaugura novos padrões de performance oral — “na leitura oral, Poetamenos foi a proposta que chegou mais longe, ao propor uma leitura a várias vozes e ‘cores’ e com cortes abruptos e dissonâncias que escapavam a toda preceptiva poética” (AGUILAR, 2005, p. 182). Contra “as críticas centradas na impossibilidade de oralização dos textos, os poetas responderam com um portemanteau joyceano: a poesia é verbivocovisual” (AGUILAR, 2005, p. 288).

Para ver alguns tratamentos sonoro-musicais dedicados ao Poetamenos: lygia fingers, por Augusto de Campos; dias dias dias, por Caetano Veloso ; lygia fingers, de Daniel Duarte Loza (Intérpretes [vozes]: Andrés Duarte Loza, Silvina Spinardi, Laur Villasol, Daniel Duarte Loza [2004]. Buenos Aires. Animação digital: Augusto de Campos)

Ana Fernandes, Marta Castello-Branco, Joao Queiroz

# # #

AGUILAR, Gonzalo. Poesia concreta brasileira: as vanguardas na encruzilhada modernista. São Paulo: Edusp, 2005. 

CAMPOS, Augusto. Mallarmé, 4 ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2015.

%d bloggers like this:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star